quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Teoria das Restrições - Base da Corrente Crítica em Projetos

Olá, leitor do blog Gestão de Projetos. A partir de agora venho dividir com vocês um pouco do meu conhecimento em gerenciamento de projetos e principalmente em gestão de riscos.

Gostaria de compartilhar um pouco do meu conhecimento em CCPM(Critical Chain Project Management) uma forma de diminuirmos os riscos no nosso projeto, porém, para conseguirmos entender um pouco da Corrente Crítica devemos entender primeiramente a Teoria das Restrições ou TOC(Theory of Constraints).

A teoria das restrições teve inicio na década de 1970, quando o físico israelense Eliyahu Goldratt se envolveu com problemas da logística de produção em sua empresa, a teoria utiliza a pratica desenvolvida por Goldratt denominada de Processo de Pensamento (Thinking Process).

Segundo a teoria das restrições, uma das principais condições necessárias à sobrevivência de uma empresa com fins lucrativos é transformar os sistemas de desenvolvimento e produção em ganhos, a qual pode ser traduzida como a busca constante pelo controle e melhoria de três indicadores de desempenho:


  1. Ganho: índice pelo qual o sistema gera dinheiro através das vendas;
  2. Inventário: todo o dinheiro que o sistema investe em coisas que um dia ele pode vender;
  3. Despesa Operacional: todo o dinheiro necessário para transformar inventário e ganho.

A teoria das restrições faz uso integrado destas três medidas como fatores para a tomada de decisão; Elas devem sempre se voltar para o impacto global dentro da empresa, devendo, portanto, serem sempre analisadas conjuntamente.

A crença fundamental da TOC é que todo sistema constituído com uma meta definida deve possuir ao menos um componente que limita seu desempenho em relação àquela meta. Se assim não fosse, a empresa teria uma lucratividade infinita. Tal componente é definido pela TOC como "restrição" do sistema. E por se constituírem num conjunto de variáveis dependentes, deverão ser sempre limitados por um número pequeno de restrições. Neste sentido, a TOC propõe que toda organização deve seguir os seguintes passos como parte de um processo de melhoria contínua.
Processo para análise da restrição.

No próximo artigo abordaremos os pontos do processo de análise da restrição, para então finalmente conhecermos um pouco mais sobre a aplicação da Corrente Crítica em Projetos. Até a próxima!

0 comentários: